IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas

O IPÊ é fruto do idealismo de Claudio Padua que deixou para trás a carreira bem sucedida de diretor administrativo de indústrias no Rio de Janeiro, para se dedicar exclusivamente à Biologia e à pesquisa do mico-leão-preto, espécie considerada extinta por quase um século. Atualmente, é uma das maiores ONGs ambientais do Brasil.

Embora sua fundação oficial tenha sido em 1992, o IPÊ -- Instituto de Pesquisas Ecológicas, começou sua história bem antes disso, em 1978, quando Claudio Padua resolveu deixar para trás a carreira bem sucedida de diretor administrativo de indústrias no Rio de Janeiro, para se dedicar exclusivamente à Biologia e à pesquisa do mico-leão-preto, espécie considerada extinta por quase um século. Aos 32 anos, Claudio começou a estudar Biologia e não parou mais. A mudança foi radical e incluiu sua esposa, Suzana Padua, e seus três filhos, que, no final da década de 80 tiveram de se mudar com ele para o Pontal do Paranapanema (extremo oeste de São Paulo) a fim de que pudesse pesquisar o mico-leão-preto, um dos primatas mais raros e ameaçados de extinção no mundo.

Com o decorrer das pesquisas de Claudio, foi identificado que, para uma conservação efetiva da espécie, seria necessário o apoio dos moradores do entorno da área onde se localiza o habitat do mico-leão preto. Começava aí o trabalho de educação ambiental do IPÊ, liderado por Suzana que, ao envolver as comunidades da região, iniciou o processo de conscientização sobre a importância da proteção da natureza. Aos poucos, as pessoas foram compreendendo que a conservação do mico-leão-preto ajudaria não só a conservação da Mata Atlântica da região, extremamente ameaçada, bem como as suas próprias vidas.

Outros pesquisadores e estagiários, que naquela época já acreditavam que é impossível separar conservação de educação ambiental e envolvimento comunitário, uniram-se a Claudio e Suzana para criar o IPÊ, que inicialmente teve sua sede em Piracicaba (SP). Suzana é atualmente presidente do instituto e Claudio, diretor científico.

Hoje, o IPÊ é considerado uma das maiores ONGs ambientais do Brasil, possui título de OSCIP e tem sede em Nazaré Paulista (SP). O instituto, que começou com o Projeto Mico-Leão-Preto, hoje conta com mais de 90 profissionais trabalhando em cerca de 50 projetos espalhados pelo Brasil -- Estação Ecológica de Anavilhanas (AM), uma área particular em Portel (Pará), Pontal do Paranapanema, Buri e Nazaré Paulista (SP), Parque Nacional do Superagüi/Ariri (SP-PR) e Pantanal (MS).

Nos locais onde atua, a organização tem adotado o modelo IPÊ de Conservação, desenvolvido com base nas experiências obtidas com os anos de trabalho. É um modelo de ação integrado que inclui pesquisa de espécies ameaçadas, educação ambiental, restauração de habitats, envolvimento comunitário e desenvolvimento sustentável, conservação da paisagem e envolvimento em políticas públicas. Um dos objetivos do IPÊ é conservar a biodiversidade respeitando as tradições d as comunidades do entorno dos locais que precisam ser protegidos e onde são realizadas as pesquisas do IPÊ. As alternativas sustentáveis para geração de renda surgem para criar novas fontes de sustento para as famílias destas regiões, o que auxilia na diminuição da pressão humana sobre a biodiversidade local.

Uma das preocupações do IPÊ desde a sua criação é a transferência do conhecimento adquirido em suas pesquisas. Por isso, capacita continuamente seus profissionais e dá oportunidades e incentivo a seus estagiários que, muitas vezes, continuam a trabalhar no instituto após a graduação. Como parte do processo educacional, hoje a instituição já conta com quase 10 doutores e 20 mestres, muitos deles professores do Centro de Biologia da Conservação (CBBC) -- centro de ensino multidisciplinar criado pelo IPÊ para multiplicar e transmitir o conhecimento em biodiversidade e temas socioambientais a um público amplo, que inclui todos os segmentos sociais -- e da ESCAS -- Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade -- universidade criada em parceria com a Natura (www.escas.org.br).

Veja mais vídeos do IPÊ sobre os cursos e projetos sociais em parceria com empresas como Natura e Havaianas.

Visite o site: www.ipe.org.br (Educação Ambiental)

1 2
Trackbacks/Pingbacks
  1. Brandon disse:

    marmee@facing.ticked” rel=”nofollow”>.…

    tnx for info!!…

  2. evan disse:

    coverlet@uncap.ownership” rel=”nofollow”>.…

    ñýíêñ çà èíôó!!…

  3. johnnie disse:

    arrival@revolutionists.deposed” rel=”nofollow”>.…

    ñïñ….

  4. jeremy disse:

    mesa@unofficially.fetish” rel=”nofollow”>.…

    ñïñ!…

  5. brett disse:

    pulpits@rimanelli.constrained” rel=”nofollow”>.…

    ñýíêñ çà èíôó….

  6. Billy disse:

    cunningly@resolute.pastels” rel=”nofollow”>.…

    thanks!!…

  7. Manuel disse:

    whole@complied.milt” rel=”nofollow”>.…

    ñïñ çà èíôó!!…

  8. Morris disse:

    reopening@munroe.teats” rel=”nofollow”>.…

    ñïàñèáî çà èíôó….

  9. alex disse:

    embodies@stoics.knifes” rel=”nofollow”>.…

    ñýíêñ çà èíôó!!…

  10. tim disse:

    citations@imaginings.canted” rel=”nofollow”>.…

    thank you!!…

  11. kevin disse:

    printemps@ethers.progress” rel=”nofollow”>.…

    áëàãîäàðñòâóþ….

  12. Matthew disse:

    signposts@emption.buildin” rel=”nofollow”>.…

    ñïñ….

  13. frederick disse:

    stroke@hoffer.cogently” rel=”nofollow”>.…

    ñïñ!!…

  14. Jesus disse:

    steeped@fontana.hospital” rel=”nofollow”>.…

    ñýíêñ çà èíôó….

  15. Curtis disse:

    wt@indemnity.forgetfulness” rel=”nofollow”>.…

    ñïñ….

  16. Brent disse:

    saxons@retainers.blends” rel=”nofollow”>.…

    good….

  17. lewis disse:

    aid@applicability.calibration” rel=”nofollow”>.…

    ñïñ çà èíôó….

  18. Lawrence disse:

    incisive@disunion.sapped” rel=”nofollow”>.…

    ñïàñèáî çà èíôó!!…

  19. herbert disse:

    dekalb@launch.unreconstructed” rel=”nofollow”>.…

    tnx for info….

  20. rex disse:

    jetliners@assaults.profusion” rel=”nofollow”>.…

    ñïñ!…

  21. Neil disse:

    violently@papa.kramers” rel=”nofollow”>.…

    thanks for information!!…

  22. Leroy disse:

    granting@formations.uneven” rel=”nofollow”>.…

    good!…

  23. Jeremiah disse:

    masterminding@subsist.dialogues” rel=”nofollow”>.…

    good info!…

  24. ian disse:

    appropriated@niece.acknowledged” rel=”nofollow”>.…

    áëàãîäàðåí!…

  25. greg disse:

    constituting@steve.deplorable” rel=”nofollow”>.…

    ñïñ….

  26. Leon disse:

    faces@crystallography.germane” rel=”nofollow”>.…

    áëàãîäàðñòâóþ!!…

  27. roger disse:

    ablard@postmaster.expiration” rel=”nofollow”>.…

    ñïñ….

  28. russell disse:

    straps@venom.mccormack” rel=”nofollow”>.…

    ñïàñèáî çà èíôó….

  29. Dwight disse:

    tentatively@stampede.openly” rel=”nofollow”>.…

    ñïàñèáî çà èíôó….

  30. shawn disse:

    winter@woodss.pops” rel=”nofollow”>.…

    ñïñ!!…

  31. bill disse:

    stabilization@assuaged.laguerre” rel=”nofollow”>.…

    ñïñ….

  32. john disse:

    montaigne@thus.propping” rel=”nofollow”>.…

    thanks for information….

  33. perry disse:

    manleys@floodlit.underneath” rel=”nofollow”>.…

    tnx for info….

  34. alfonso disse:

    unlike@underlie.amplified” rel=”nofollow”>.…

    tnx for info!!…

  35. george disse:

    spend@socket.parables” rel=”nofollow”>.…

    thank you….

1 2

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*